sexta-feira, outubro 23, 2009

Representantes do ensino superior pedem ao MEC suspensão do Enade


Tatiana Farah
SÃO PAULO - Após a Polícia Rodoviária Federal ter encontrado provas do Enade 2009 sem o lacre de segurança, numa blitz de rotina em Três Rios (RJ), o Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior considerou o antigo Provão "potencialmente viciado", e reivindicou nesta quinta-feira que o Ministério da Educação suspenda o exame, marcado para 8 de novembro. A entidade quer que o MEC reveja o sistema de segurança para garantir o sigilo, além de refazer as questões do exame. Acreditamos que o ministro cancelará o Enade para refazer a prova (José Roberto Kovac)
Os representantes não descartam acionar a Justiça, caso o governo mantenha a data do exame com o mesmo conteúdo das provas. O Fórum, que congrega cerca de 60% das mais de 2 mil instituições privadas de ensino superior do país, entregou um documento ao presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, criticando não só a descoberta de caixas de provas sem o lacre de segurança como o silêncio do MEC.
"A falta de manifestação do MEC sobre as providências relativas a respeito de um fato tão grave não só põe sob suspeita o sigilo da prova como também representa um risco aos alunos das instituições de ensino, considerando que estas serão avaliadas com base neste processo potencialmente viciado", afirmam os dirigentes do fórum no documento.
Na terça-feira, quatro caixas cheias de provas que não tinham lacre de segurança foram descobertas pela Polícia Rodoviária Federal em uma caminhonete, durante fiscalização de rotina na BR-393, em Três Rios (RJ). O MEC decidiu manter a data do exame, com as mesmas provas, e considerou que não houve quebra de sigilo. O Ministério Público abriu inquérito para apurar o caso.
O fórum, por meio de seu diretor jurídico, José Roberto Kovac, afirmou que, caso o ministro Fernando Haddad não suspenda a realização do exame para elaborar nova prova, as instituições de ensino podem acionar o MEC judicialmente.
- Primeiro, queremos uma resposta oficial do ministério. Acreditamos que o ministro cancelará o Enade para refazer a prova. Amanhã (sexta-feira), o fórum vai se reunir para decidir o que fazer caso o MEC mantenha essa posição. Uma das possibilidades é buscar uma medida cautelar, na Justiça, visando a cancelar a realização dos exames.
Fonte: http://oglobo.globo.com/

0 comentários: